Documentos comprovam que Dunga é empresário de futebol

julho 24, 2014

capadunga2407

Publicamos, ontem, detalhes de como o “esquema” facilitador de empresários de futebol funcionará na CBF, nos próximos anos.

Evidentemente, para que tudo de certo, é necessária a colaboração do treinador Dunga.

http://blogdopaulinho.wordpress.com/2014/07/23/cbf-arma-esquema-para-lucrar-com-jogadores-da-base-a-opcao-de-dunga-fechar-os-olhos-ou-participar-da-partilha/

Hoje, em brilhante reportagem, o jornalista Lúcio de Castro, da ESPN Brasil, comprovou, com documentos, a atuação de Dunga no submundo esportivo, como agenciador de atletas.

Confira, logo abaixo:

Por LUCIO DE CASTRO

Dunga manteve por muitos anos um segredo bem guardado: a intermediação de transações em direitos econômicos de jogador de futebol. Quando foi questionado por esta reportagem sobre sua participação na venda do meia Ederson, em 2004, do RS Futebol Clube para o grupo Image Promotion Company (IPC), foi incisivo na negativa. Através da assessoria de imprensa da CBF, afirmou “não ter participação alguma na venda dos direitos sobre o vínculo do referido jogador”.

Três documentos públicos, porém, mostram o contrário: uma nota fiscal da “Dunga Empreendimentos, Promoções e Marketing ltda”, com a comissão no valor de R$ 407.384,08; o recibo assinado pelo próprio Carlos Caetano Bledorn Verri, o Dunga; e o comprovante bancário de transferência do clube para a empresa do treinador, no valor discriminado na nota. Não é o único conflito de interesse com o cargo de comandante da seleção brasileira nessa história: as ligações com os agentes do IPC vão muito além do que um único negócio.

ESPN.COM.BR

Documentos comprovam intermediação de Dunga em negociação de Ederson
Documentos comprovam intermediação de Dunga em negociação do meia Ederson

Em 14 de janeiro de 2004, o RS Futebol Clube negociou 75% dos direitos sobre o vínculo desportivo do meia Ederson, (Internacional, Juventude, Nice, Lyon e atualmente Lazio) com o grupo IPC, pela quantia de U$ 1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil dólares). O IPC foi representado na negociação pelo empresário italiano Antônio Caliendo. A comissão do intermediário Dunga foi paga pelo clube gaúcho. Na nota emitida pela empresa “Dunga Empreendimentos, Promoções e Marketing ltda” está especificado o “faturamento de honorários profissionais pelos serviços prestados de assessoramento, acompanhamento e indicação de investidor na aquisição de direitos federativos e econômicos de atleta”. A pedido do IPC, os direitos federativos foram repassados para o francês Nice, onde Ederson atuou por três temporadas.

No dia 8 de maio de 2006, os investidores do IPC fecharam a compra dos 25% restantes dos direitos que o RS Futebol Clube ainda tinha de Ederson pela quantia de U$ 575.000,00 (quinhentos e setenta e cinco mil dólares). Diferentemente da compra dos 75% anteriores negociados por Antonio Caliendo, Dunga já não consta mais como intermediário da transação e sim como o autor do depósito dos U$ 575.000,00, oriundo de uma agência do Credit Suisse em Mônaco, sede também do IPC e creditado para os responsáveis pelo RS Futebol Clube. Em processo judicial que corre na justiça gaúcha, Dunga nega que tenha sociedade na IPC, alegando que o depósito feito por ele foi um empréstimo para o IPC.

ESPN.COM.BR

Matéria Dunga arte 2 - documento
Depósito de 575 mil dólares de Dunga para representantes do RS Futebol Clube

Por trás do endereço do IPC, em Mônaco, estão mais revelações sobre as teias de relacionamento de Dunga. O investidor, para quem o treinador da seleção intermediou o atleta do RS Futebol Clube, encontra-se no mesmo endereço da World Champions Club (WCC), na Avenue Princesse Alice. A WWC é uma conhecida empresa de agenciamento no futebol. E entre os gestores está Antônio Caliendo, que representou o IPC na compra dos 75% de Ederson, onde Dunga ganhou comissão por intermediação. O meia não foi convocado pelo treinador em sua passagem anterior pelo comando da seleção, vindo a ser chamado em 26 de julho de 2010, primeira convocação de Mano Menezes, para o amistoso no dia 8 de agosto contra os Estados Unidos – quando ficou três minutos em campo e se lesionou.

A reportagem quis saber de Dunga se ele ainda tinha algum vínculo com a empresa. O treinador disse “não ter vínculo com a empresa em questão e que esta empresa o representou quando ele era jogador”. Provavelmente não viu o site da WWC, onde é uma das estrelas e identificado como “um dos nossos últimos clientes”, ao lado de Ederson e Maicon, convocado por Dunga para a Copa do Mundo de 2010. Não apenas isso: onde consta a relação e fotos dos futebolistas pelos quais respondem pela gestão, Dunga aparece em foto recente e não de quando era jogador.

ESPN.COM.BR

Em seu site oficial, WCC, do italiano Antonio Caliendo, lista clientes: Dunga, Ederson, Maicon e QPR
Em site oficial, WCC, do italiano Antonio Caliendo, lista clientes: Dunga, Ederson, Maicon e QPR

O inglês Queens Park Rangers também estrela o site. A WWC assumiu a gestão do QPR em 2004. Mesmo sem “ter vínculo com a empresa em questão”, Dunga assumiu cargo no conselho de gestão do clube, formado por cinco membros. Por ser agente Fifa, Antonio Caliendo não podia figurar oficialmente entre tais conselheiros, e o técnico da seleção era seu rosto.

O segredo que Dunga trouxe bem guardado até esta quinta-feira atravessou incólume uma passagem de quatro anos à frente de uma seleção nacional. Tendo como base um discurso de comprometimento e amor pela camisa verde e amarela. Ao voltar esta semana, ressaltou a base moral que sustentava esse retorno: “Dificilmente uma pessoa muda em seus princípios, os meus são a ética, comprometimento, lealdade, transparência, trabalho”. Ao lado do treinador, a comissão técnica tem Gilmar Rinaldi, que deixou de ser empresário de jogadores no dia em que assumiu o cargo de coordenador na seleção brasileira.

A patética entrevista de Kalil Rocha Abdala: “estou sentindo que tem alguma coisa por trás”

julho 24, 2014

kalil mac

(trecho da entrevista concedida a FOLHA por Kalil Rocha Abdala, conselheiro do São Paulo e gestor da Santa Casa de Misericordia, acusado pelo Governo de má-gestão dos recursos da entidade)

O sr. assumiu agora a nova gestão. Não previu que poderia chegar a esse ponto?
Não assumi agora, não. Estou aqui há seis anos.

Esta nova gestão.
Sim, o que é que tem?

Chegou a contemplar o problema em seu programa?
Sabia que tinha dificuldades, nunca foi escondido.

O sr. chegou a avaliar o auxílio de alguém do governo?
Para mostrar lisura das atitudes tomadas, mostrar que está tudo em ordem, que tem transparência. Isso que nós temos que fazer.

O sr. não contemplou a situação que está enfrentando?
Analisei tudo. O que podia fazer? Reformulação no final do mandato? Não ia imprimir uma gestão nova se fosse sair na semana seguinte.

O sr. não colocou essa perspectiva de ter que fechar o pronto-socorro…
Não, não pensei nada. Fechei repentinamente porque chegou um dia e o fornecedor disse que não ia mais me fornecer material. Mas está me parecendo que você está fazendo campanha. Carta marcada? Está me parecendo, porque o outro candidato esteve hoje aqui agitando [José Luiz Setúbal, candidato derrotado a provedor].

Não se preocupe, estou fazendo o meu papel.
Estou preocupado, sim. Está enveredando para outro lado que não está me agradando.

É natural ter esse tipo de dúvida. Não é para o sr. suspeitar.
Você está perguntando para poder futricar. Você devia falar que eu sou bonito, tal. Você não fala. Você só vai descer o porrete.
Não nasci hoje. Estou velhinho já. Não vou falar mais. Estou sentindo que tem alguma coisa por trás.

Conselheiro do Corinthians cobra comissões de Rosinei, ex-jogador do clube

julho 24, 2014

jaça

O conselheiro do Corinthians, Jacinto Antônio Ribeiro, o Jaça, cobra, judicialmente, comissionamentos do volante Rosinei, atualmente jogando no Atlético/MG.

Oficios foram enviados ao Corinthians e também à Adidas, que fechou contrato de patrocínio com o atleta.

Neles, o juíz Antonio Manssur Filho questiona, clube e empresa, se Jaça intermediou os negócios, se era agente de Rosinei, e qual o percentual que seria devido pela participação.

Uma sinuca de bico para o Corinthians, que, em confirmando a participação, exporá publicamente que conselheiro do clube levou vantagem financeira em negócios envolvendo jogadores, realizados, ambos, no ano de 2008, quando já vigorava a proibição no Estatuto desse tipo de ação.

Falava-se, desde sempre, que Rosinei, entre outros, seriam jogadores ligados a Andres Sanches, de quem Jaça é sócio em posto de combustíveis, e também responsável por introduzi-lo no convívio do Parque São Jorge.

A audiência, que decidirá os rumos financeiros do negócio, está marcada para dia 09 de setembro, às 15h, na 2ª Vara Civil do Fórum do Tatuapé.

Empresário processa Corinthians e Ronaldo “Fenômeno” por comissão do acordo com a Hypermarcas

julho 24, 2014
Andres Sanches, Tadeo Sanchez e Ronaldo

Andres Sanches, Tadeo Sanchez e Ronaldo

Em março de 2014, a 3º Vara Cívil de Pinheiro, em São Paulo, aceitou Ação de cobrança movida pelo empresário Paulo Sérgio Pereira da Cruz Palomino, que cobra R$ 100 mil de comissão de dois réus, Corinthians e Ronaldo “Fenômeno”, referente ao fechamento de patrocínio da Hypermarcas para a camisa do clube.

A primeira audiência foi designada para 13 de agosto, às 15h.

Luis Paulo Rosenberg é citado no processo como o negociador por parte do Timão, enquanto Fabiano Farah, empresário de jogadores, representou Ronaldo, que, à época, jogador, não poderia aparecer “oficialmente” no negócio.

Este é mais uns dos itens da “caixa-preta” alvinegra, dentre tantos negócios nebulosos realizados nas últimas gestões, em que, como se pode observar, muita gente levou comissão, inclusive jogador de futebol consagrado e que já recebia, e bem, para executar seu principal ofício.

O Santos e suas fraudes

julho 24, 2014

bandido-encapuzado1-275x300

Mais uma vez o Santos ganhou as manchetes dos principais espaços jornalísticos, de maneira negativa, ao ser exposta fraude no cadastro de associados aptos a votar nas próximas eleições.

Atitude pequena, digna da atual gestão do clube.

Talvez temerosa de ser avaliada por fraudes ainda mais graves, como a, até hoje, inexplicável negociação de Neymar ou o fato da TEISA, fundo criado com a promessa de unica e exclusivamente negociar atletas do Peixe, em seu estatuto, permitir intermediações e até aquisições doutras equipes, sem que o Santos seja informado das ações.

Ou seja, trabalha-se com o dinheiro e mercadoria do clube, mas investe-se o lucro noutras operações, sem que a grana seja revertida a quem se propôs a dividir o projeto.

São tantas as fraudes ou discursos sem verdade, que as carteirinhas com o nome de “Al Capone”, Dom Corleone”, parecem mais homenagens aos dirigentes do Peixe do que propriamente tentativa – por sinal, primária e de fácil percepção – de burlar as eleições.

Preço dos ingressos e Metrô fechado esvaziaram “Fielzão”

julho 24, 2014

fielzão vazio

Após um início de público irreal, certamente ocasionado bem mais pela curiosidade sobre o novo estádio do que propriamente a qualidade das partidas disputadas, a presença de pessoas no “Fielzão” começou, gradativamente, a diminuir.

Ontem, por exemplo, pouco mais de 20 mil estiveram presentes.

Vários são os motivos para o início da debandada, entre eles, o preço do ingresso, caríssimo, para assistir uma equipe que está bem longe de encher os olhos do torcedor.

Ontem, além disso tudo, como previsto nesse espaço, os jogos as 22h não podem dar certo num local que depende, quase que totalmente, do Metrô como transporte para acesso a suas dependências.

As estações próximas encerram suas atividades próximas da meia-noite, inviabilizando o retorno de torcedores a seus locais de origem ou proporcionando o desconforto, como ocorrido na partida entre Corinthians e Bahia, em que boa parte dos que lá estavam se obrigou a sair do campo minutos antes do apito final, na tentativa de não perder o transporte.

V(W)anderlei(y) Luxemburgo ? O Flamengo possui dirigentes piores do que se pensava

julho 23, 2014

luxabanana

V(W)anderle(y) Luxemburgo está de volta ao comando técnico do Flamengo, dois anos após ter sido demitido do clube, acusado de negócios com jogadores e de chefiar um esquema que desviava garotos da base para seus parceiros de negócios.

Tudo comprovado, com documentos e áudios.

Com mais esse atentado ao clube, os dirigentes do Flamengo demonstram ser ainda piores do que se imaginava, muitos deles, à época, que pediram a cabeça do treinador.

Verdadeiros lobos em pele de cordeiro, aliados ao que há de pior no submundo esportivo.

Primeiro, levando o clube à ponta do abismo, abrindo as portas ao esquema Paulo Pelaipe, e agora, empurrando-o de vez do penhasco, devolvendo-o a Luxemburgo.

Sabe-se lá por quais motivações.

Abaixo, retomamos, para quem não sabe da história, as denúncias de desvio de dinheiro e atletas do Flamengo por parte de V(W)anderlei(y) Luxemburgo, com conhecimento, inclusive, de seu novo assessor, o ex-jogador Deivid.

O Flamengo que implora, há anos, para cair de divisão, dessa vez, tudo indica, terá o desejo concedido.

Bicheiros, negociatas, documentos falsos: saiba como V(W)anderlei(y) Luxemburgo está pegando dinheiro do Flamengo

http://blogdopaulinho.wordpress.com/2012/01/18/bicheiros-negociatas-documentos-falsos-saiba-como-vwanderleiy-luxemburgo-esta-pegando-dinheiro-do-flamengo/

Documentos das empresas do esquema Luxemburgo no Flamengo

http://blogdopaulinho.wordpress.com/2012/01/19/documentos-das-empresas-do-esquema-luxemburgo-no-flamengo/

Foto do “laranja” de Luxemburgo com delegação do Flamengo

http://blogdopaulinho.wordpress.com/2012/01/19/foto-do-laranja-de-luxemburgo-com-delegacao-do-flamengo/

Pró-Memória: Maldonado, ex-genro de V(W)anderlei(y) Luxemburgo, é sócio de empresa que possui procurações de jogadores do Flamengo

http://blogdopaulinho.wordpress.com/2013/05/13/maldonado-genro-de-vwanderleiy-luxemburgo-e-socio-de-empresa-que-possui-procuracoes-de-jogadores-do-flamengo/

Conheça o “esquema” de desvios de jogadores do Corinthians acobertado por um “Fora Dualib”

julho 23, 2014

negãoforadualib

No final de 2006, surgiu um grupo de torcedores, que, a princípio, dizia-se apolítico e desvinculado das torcidas “organizadas”, denominado “Fora Dualib”, que levantou a bandeira da expulsão do ex-presidente do Corinthians, no auge dos problemas com a MSI.

Entre os líderes estavam Doni “Bob Cuspe”, Donato “da Erva” e Edu “Gaguinho” dos Gaviões.

Descobriu-se, depois, que além da ligação com os Gaviões da Fiel, o grupo era financiado com dinheiro oriundo da chapa “Renovação e Transparência”, que apoiou os últimos dois presidentes eleitos no Parque São Jorge, Andres Sanches e Mario Gobbi.

Os três citados, e mais alguns próximos, foram agraciados com cargos no Corinthians, e, por consequencia, o discurso de combate a corrupção e fiscalização das coisas erradas, jogado por terra:

“Eles viviam me lambendo, dizendo que eu era o herói deles… você se lembra… na verdade queriam é mamar nas tetas do poder. Enganaram parte da torcida e muita gente dentro do clube”, disse Ciborg, associado alvinegro.

Recentemente, publicamos que 96 jogadores, entre 17 e 20 anos, estavam recebendo salários do Corinthians, com contratos de profissionais, alguns emprestados a diversos clubes país afora.

Mas há outros mais, que não fazem parte do elenco do Timão, e foram desviados para o Flamenguinho de Guarulhos.

Cerca de 30 atletas, muitos deles que sequer conhecem o Parque São jorge, remunerados pelo clube, para favorecer empresários e dirigentes responsáveis pelo departamento de base do Corinthians.

O nome destacado para ocultar as negociatas, Domingos Tamarozzi Neto, vulgo Doni Bob Cuspe, ocupa, sem conhecimento do conselho alvinegro, apenas dos dirigentes da base, cargos em ambas as agremiações, Corinthians e Flamengo.

No Timão, é Assessor da Diretoria Geral, capitaneada por Fernando Alba, enquanto, pelo Flamenguinho, Doni ocupa o cargo mais importante do clube, depois da presidência, o de Diretor de Futebol Profissional, segundo informações, recebendo remuneração pelo trabalho.

Ou seja, dois cargos em clubes distintos, que, apesar da “parceria”, possuem, eventualmente, divergências comerciais.

“Que coisa… esse cara dizia que iria fiscalizar o Corinthians… triste…”, finalizou Ciborg.

Confira abaixo o nome de Domingos Neto na relação de Assessores da Diretoria de Base do Corinthians

doni 1

Relação de dirigentes do Flamengo, com Domingos Neto ocupando o cargo de Diretor de Futebol profissional

doni 2

EM TEMPO: antes de entrar no Corinthians, Doni trabalhava como ajudante de escritório, com salário que não alcançava R$ 1 mil. Hoje viaja pelo mundo, usufruindo de todos os hábitos que criticava na gestão Alberto Dualib.

Comissão por Matheuzinho: mais um capítulo do conflito Gobbi vs. Andres Sanches

julho 23, 2014

Gobbi e Sanches discutem e por pouco não falam as verdades

Recentemente, publicamos que o conselheiro do Corinthians, Antonio Vicente Estorino da Silva, vulgo Tonny Baggio, ingressou com ação judicial contra o volante Gomes, 19 anos, formado nas categorias de base, que mantém ainda vínculo com o clube.

http://blogdopaulinho.wordpress.com/2013/04/29/escancarado-conselheiro-do-corinthians-cobra-comissao-de-jogador-do-clube-na-justica/

Baggio, que dirige uma CT em Penápolis-SP, tratado como oficial pelo Timão, é acusado de servir como um dos “laranjas” para negociações de atletas ligados ao ex-presidente Andres Sanches.

Vale lembrar que o Estatuto do Corinthians proíbe que conselheiros possam lucrar um centavo sequer com atletas ou outros produtos alvinegros.

Não satisfeito com a primeira ação judicial, Baggio, através de sua empresa, a Storinos Sports, ingressou com outro processo, desta vez cobrando a exposição de documentos da transação entre Matheuzinho, do Corinthians para o Bragantino.

O conselheiro alvinegro alegou, no processo, ter direito a 50% dos direitos econômicos, 20% sobre patrocínios e 10% sobre salários e outros ganhos.

Recentemente, o empresário Vanderli Bealozorw discutiu com Andres Sanches, pelo twitter, cobrando comissão por uma negociação realizada por outro intermediário, Alexandre Magno, tratado como funcionário do dirigente alvinegro.

http://blogdopaulinho.wordpress.com/2014/02/03/empresario-cobra-calote-e-ameaca-andres-sanches-pelas-redes-sociais/

Magno negociava Matheuzinho a mando de Sanches, segundo testemunhas, uma delas, inclusive, que repetiu a história em recente depoimento ao Ministério Público de São Paulo.

Levando-se em consideração a atual cobrança e os envolvidos nesse “rocambole” de nomes e situações, tudo indica que os homens da gestão Gobbi, no futebol, chutaram os ligados a Andres Sanches, elevando, ainda mais, o conflito político entre as partes.

CBF arma esquema para lucrar com jogadores da base. A opção de Dunga: fechar os olhos ou participar da partilha

julho 23, 2014

gallo rinaldi

Nunca, em toda a história da Seleção Brasileira, um treinador de equipes de base, de currículo ralo – inclusive como atleta – foi tratado com tamanha importância quanto Alexandre Gallo, nas últimas semanas.

Marin e Del Nero tentam vendê-lo como símbolo da renovação do futebol nacional.

Na verdade, Gallo, ligado a diversos empresários do submundo esportivo, terá função estratégica para os dirigentes.

Não é a toa que, em destacada participação nas recentes entrevistas coletivas, o ex-volante, mesmo sem consultar o treinador da Seleção Principal, “definiu” que os jovens atletas, por ele escolhidos, terão uma espécie de “cota” obrigatória de convocação.

Seguindo esse raciocínio, o poder de Gallo passa a ser imenso, não apenas de barganha com os clubes que cederão os atletas, mas também com os empresários envolvidos no negócio, que, sabe bem, terão seus rebentos valorizadíssimos com a passagem, nem que seja no banco, pela equipe nacional.

Gallo não dá ponto sem nó, e, certamente, Marin e Del Nero, não permitiriam tal esquema à margem de seus conhecimentos.

A Dunga, que, se nada ganhou no passado, permitiu a convocação de Afonso Alves e Bobô, evidentemente nada técnicas, caberá, novamente, o papel de fechar os olhos, ou, talvez, participar da partilha, situações que, seja qual for o resultado, garantirá sua nova incursão como treinador numa Copa do Mundo.

Gilmar Rinaldi, empresário de futebol, evidentemente utilizará seus contatos para que as negociações sejam facilitadas.

Aliás, a imprensa, que não pode se dar por ingênua, erra ao relacionar apenas doze jogadores como agenciados pela Gilmar Sports, assim como alguns, no passado, disseram que somente três ou quatro atletas da Seleção pertenciam a Carlos Leite, então agente do ex-treinador.

É obvio que todos eles assinam “oficialmente”, por alguns atletas, e “oficiosamente”, até para encobrir negócios que não podem ser revelados, pela quantidade maior de jogadores, que são colocados em nome de terceiros, verdadeiros funcionários, que sequer sentam nas mesas de reuniões.

Em resumo, o “esquema” está só começando, tem Gallo como agenciador de convocados, Rinaldi para distribuí-los, Dunga para fechar os olhos e convocá-los e os dirigentes da CBF para permitir tudo, evidentemente, com algum interesse, inconfessável, na retaguarda.

Imprensa ucraniana acusa Franck Henouda de facilitar desvio de jogadores do Shakhtar por Kia Joorabchian

julho 23, 2014

bernard-kia-bmg.jpgfranck-henouda

Há anos nosso espaço vem desvendando as ligações de empresários do esporte, alguns deles tratados até como mafiosos, em parcerias nunca assumidas, mas sempre atuantes.

Uma das mais conhecidas envolve o trio Kia Joorabchian, Franck Henouda e Carlos Leite.

O iraniano, espécie de gestor de dinheiro com difícil comprovação de origem, atua em todo o Planeta, encontrando em Henouda sua ligação com equipes do leste Europeu, principalmente o Shakhtar Donetsk, e Carlos Leite, o que facilita as ações em clubes brasileiros, proporcionando, por exemplo, a convocação de atletas das equipe ucraniana, sequenciais, enquanto Mano Menezes, um de seus agenciados, era treinador da Seleção Brasileira.

Porém, desta vez a situação de Henouda parece ter se complicado na Ucrânia, com os próprios dirigentes locais acreditando que sua participação foi decisiva para convencer os atletas “desertores”, que se recusaram a voltar ao país, quase todos brasileiros, a utilizarem a guerra como desculpa e fecharem negócio com Joorabchian.

O plano é utilizar uma regulamentação da FIFA que permitiria o rompimento do contrato de todos, sem pagamento de rescisão, alegando risco de vida, beneficiando os empresários por trás do negócio, que teriam 60 milhões de Euros em suas mãos – valor pago pelos ucranianos para adquirir os atletas – sem precisar gastar um centavo sequer, podendo, ainda, revendê-los no vasto mercado mundial.

Um golpe que, se confirmado, deixaria a todos ainda mais milionários, faria Henouda sair da Ucrânia sem dor na consciência, e nos remeteria a outra situação protagonizada por Kia Joorabchian, e testemunhada por dirigentes do Corinthians, nomeada a época como “Golpe de Lyon”, quando, em atitude semelhante, o iraniano tentou liberar o atacante Nilmar sem pagar por seus direitos federativos.

A ação somente foi descoberta, e punida, com o clube paulista tendo que pagar duas vezes o valor do atleta para a FIFA, após denúncia do Blog do Paulinho, que detalhou todo o esquema, comprovado, posteriormente, em investigações da entidade.

CONFIRA ABAIXO NOTA DA IMPRENSA UCRANIANA QUE DÁ CONTA DA PARCERIA ENTRE FRANCK HENOUDA E KIA JOORABCHIAN NO EPISÓDIO QUE VEM SENDO TRATADO COMO SEQUESTRO PELOS DIRIGENTES DO SHAKHTAR DONETSK

Por KIRILL KRYZHANOVSKY

Пообщался с бразильским менеджером (агентом). Он напрямую обвиняет в похищении игроков Шахтера сладкую парочку своих коллег.

Киа Джурабчана все хорошо знают, а его партнером из Бразилии является некий Franck Henouda. Менеджер в открытую называет этого парня “пиратом”, а методы их действий “работой в тени”.

Считает, что Тейшейру будут пристраивать в какой-то бразильский клуб, но п¾ка без конкретики.

По Дугласу Косте, по моему, все очевидно. Он останется в Европе. Если ситуация с Шахтером не разъясниться, то Коста явно всплывает в одном из топ-чемпионатов.

Такая вот петрушка…

EM TEMPO: recentemente, Kia Joorabchian esteve no Mineirão ao lado de seu sócio, Ricardo Guimarães, dono do BMG – o banco do Mensalão – e um dos “ucranianos”, o jogador Bernard, todos no mesmo camarote.

A indecente gestão de Kalil Rocha Abdala na Santa Casa de São Paulo

julho 23, 2014

kalil mac

Recentemente, Kalil Rocha Abadala, apesar de perder as eleições para presidência do São Paulo, mesmo com o apoio de semelhantes, entre eles, Marco Aurélio Cunha e Aurélio Miguel, reelegeu-se pelo terceiro mandato seguido como provedor da Santa Casa de São Paulo.

Um desastre para a população paulistana.

Os números de sua gestão, que quintuplicou uma dívida que era de R$ 70 milhões, elevando-a a inacreditáveis R$ 350 milhões, foram expostos por este blog, com o aviso de que o conselheiro tricolor havia quebrado financeiramente a entidade.

http://blogdopaulinho.wordpress.com/2014/01/31/a-desastrosa-administracao-de-kalil-rocha-abdala-candidato-a-presidente-do-sao-paulo-na-santa-casa-de-misericordia/

Mas nada foi mais indecente do que sua atitude de fechar as portas para o atendimento de pacientes, todos sem recursos para outras alternativas, alegando não possuir material para atendê-los, quando, na verdade, a intenção é clara de pressionar o Governo para socorrer, com dinheiro, sua má administração.

Os governantes, que tem o compromisso público e constitucional para com a saúde popular, ainda mais em período eleitoral, devem fazê-lo, mas de nada adiantará injetar recursos se o responsável pelo desastre permanecer no poder.

Abdala barganhou dinheiro utilizando-se da saúde dos mais necessitados, uma atitude nojenta, rasteira, inqualificável.

Resta ao Governo devolver a pedra como recebeu, salvando a Santa Casa, mas exigindo novos gestores, além de apuração minuciosa de como a dívida chegou a tamanho patamar.

Governo concentra-se no Futebol, mas ignora o Olimpismo, que está tão ruim quanto

julho 23, 2014

A nuzmania e os hermidas

Por ALBERTO MURRAY NETO

Parece que agora o governo federal interessou-se pelo futebol, com interferência direta da própria Presidenta da República. Isso é bom. Antes tarde do que nunca. As reuniões e movimentos feitos até o momento são positivos. Tomara que não seja mera pirotecnia eleitoreira. O futebol brasileiro exige mudanças profundas, que não se resumem à escolha de um novo técnico para a seleção nacional.

O que é ruim é ignorar que o futebol não é o único esporte no Brasil que merece reformas radicais. A monocultura futebolística absorve as atenções do governo e das mídias. São poucas que abrem espaços importantes para os esportes olímpicos. Temos pela frente, daqui a dois anos, os Jogos Olímpicos, que serão realizados no Rio. As obras estão muito atrasadas. Algumas delas, promrtidas no dossiê de candidatura, sequer ficarão prontas. Há indícios fortíssimos de que o superfaturamento que ocorreu nos Jogos Panamericanos de 2.007 serão repetidos em 2.016, com obras sendo feitas na correria e entregues em cima da hora, por preços muito mais caros e tudo pago com dinheiro público.

O governo e a Presidenta da República teriam que aproveitar o momento em que se debruçam sobre as mazelas do futebol, para fazer o mesmo com as do olimpismo brasileiro. E deve fazer isso enquanto há algum tempo. No futebol, o governo quer agora juntar os cacos e começar uma nova era. Então que não se esperem os fracassos de 2.016 para investigar o olimpismo. Que se comece a fazer isso imediatamente.

No Olimpismo há duas frentes a serem atacadas. Uma é a organização dos Jogos Olímpicos em si, atentando para que as coisas sejam feitas nos prazos e preços corretos, com rigorosa transparência e sempre com licitações públicas. A outra é a estrutura organizacional das Confederações e do Comitê Olímpico Brasileiro, que devem ser cobrados por administrações modernas e arejadas, com projetos sólidos de longo prazo incentivando as categorias de base. Parafraseando meu dileto amigo Lars Grael, com raríssimas exceções, o comando do esporte olímpico brasileiro é comparado às capitanias hereditárias.

Como escreveu José Cruz, o governo não pode ignorar as graves denúncias feitas e comprovadas pelo jornalista e historiador Lúcio de Castro, da ESPN Brasil, sobre pagamentos suspeitos feitos pela Confederação Brasileira de Vôlei. Essa Confederação é dirigida há quarenta anos por dois indivíduos de um mesmo grupo político, Carlos Arthur Nuzman e Ary Graça Filho. A Presidenta da República não pode se esquecer de que a Confederação Brasileira de Vôlei é sustentada por uma importante empresa do governo, o Banco do Brasil S.A. Há muito dinheiro público envolvido aí.

Possível mudança de sistema para retirar ingressos deixa conselheiros “cambistas” do Corinthians revoltados

julho 22, 2014

gobbi.jpg

As constantes denúncias de conselheiros do Corinthians recebendo ingressos gratuitos e revendendo os “mimos” como se fossem cambistas provocou bates-bocas generalizados no Parque São Jorge.

Principalmente porque em nossa última incursão sobre o assunto, além de preços, citamos o nome de um conselheiro “vendedor”, dentre tantos, que sobrevivem dessas pequenas operações.

http://blogdopaulinho.wordpress.com/2014/07/18/conselheiros-do-corinthians-comercializam-ingressos-do-fielzao/

Pressionado, o presidente delegado Mario Gobbi estuda modificar o sistema, e, em vez de liberar ingresso aos conselheiros, pedir que os mesmos apresentem suas carteirinhas na entrada, limitando o que antes não tinha controle a apenas uma vaga por pessoa.

O simples fato dessa hipótese ter sido cogitada revoltou os que contam com as molezas para dar conta do próprio sustento, entre eles um conhecido conselheiro, ligado a grupos que tem por oficio o roubo de cargas.

Resta saber se Gobbi terá a coragem que nunca demonstrou durante todo o período de seu mandato para colocar a ideia em prática, nos próximos embates alvinegros.

Palmeiras cobra indenização milionária do Fluminense, na Justiça

julho 22, 2014

6d627-paulonobre

Recentemente, o Palmeiras ingressou na FIFA com pedido de indenização, de 5 milhões de Euros, pelo fato do Fluminense ter atravessado uma negociação do clube com o jogador Martinuccio, que havia até assiando pré-contrato com a equipe palestrina.

Até o momento, nada foi resolvido.

Razão pela qual, na última sexta-feira (18), o Verdão ingressou com Ação, na 20ª Vara Cívil de São Paulo, cobtando R$ 1 milhão da equipe carioca, na tentativa de minimizar o prejuízo.

O clube carioca, assim que notificado, terá três dias para juntar documentos e responder as alegações que já estão nas mãos da Juíza Raquel Machado Carleial de Andrade, evitando, ou não, possível execução.


%d blogueiros gostam disto: