Novo presidente do CORI do Corinthians tem diversos negócios com o clube

março 1, 2015

osmar basilio

Na última semana, o empresário Osmar Basílio, dono da Faculdade DRUMMOND, foi alçado ao cobiçado cargo de presidente do CORI do Corinthians, devendo ter a colocação ratificada nos próximos dias.

O “prestígio” que lhe garantiu o encabrestado voto dos membros da “Renovação e Transparência” advém não apenas da ligação com o PT, mas também de favorecimentos pessoais a dirigentes, além de negócios realizados com o clube.

Foi um professor da DRUMMOND, Ricardo Agnelo D’Ângelo. à época ensinando Gestão Esportiva para André Negão, atual vice do clube, que negociou a contratação (como preposto do ex-bicheiro) do atleta Defederico, que tanto prejuízo ocasionou ao Corinthians, mas não ao “grupo”, que teria levado R$ 400 mil de comissão.

Aliás, fala-se até hoje que a matricula do dirigente alvinegro na Faculdade é cercada de controvérsia, entre as quais uma checagem, digamos, pouco eficiente do diploma de 2º grau apresentado na secretaria.

A “aliança” foi tão lucrativa que o “aluno” Negão passou a figurar nas mesas de eventos promovidos pela Instituição, em lugar de destaque – ao lado do presidente – quase sempre tratado como “futuro presidente do Corinthians”.

osmar basilio e andre negão

O DRUMMOND, pela benevolência com dirigentes, ganhou do clube a concessão informal do estacionamento, localizado em terreno em frente ao Parque São Jorge (que a Prefeitura tenta retomar em ação judicial), que passou a ser utilizado como estacionamento do estabelecimento de ensino.

Sem contar o Salão de Festas e agora a Escolinha de Natação, outros serviços importantes do Timão, todos nas mãos de Osmar Basílio.

Ou seja, o conflito de interesses e o rabo preso com a diretoria do Corinthians, a quem o CORI tem obrigação de fiscalizar, é mais do que evidente, além de inadequado para a responsabilidade específica.

ABAIXO O LEITOR CONFERE OSMAR BASILIO PEDINDO VOTOS PARA TONINHO PAIVA, TAMBÈM CONSELHEIRO DO CORINTHIANS – DE REPUTAÇÃO CONTROVERSA – ENTÃO CANDIDATO A VEREADOR

Enquanto o São Paulo tinha CT penhorado, Aidar e Cinira levaram Diretor de Futebol para advogar contra Blog do Paulinho

março 1, 2015

gustavo francez

Publicamos, ontem, que em meio a problemas gravíssimos do São Paulo, como a penhora do CT de Cotia, o presidente do clube, Carlos Miguel Aidar, meteu-se, junto com a 1/2 namorada, Cinira Maturana, a tentar retirar o Blog do Paulinho de circulação.

Mas não estavam sozinhos.

O Diretor Adjunto de Futebol, Gustavo Francez, que, nos bastidores é tratado como intermediário de atletas, ganhando dinheiro, também, com causas que o jurídico tricolor “desvia” para o escritório que representa, participou da empreitada.

Talvez porque no horário da referida audiência, 15h50m de uma quinta-feira, período em que o Departamento de Futebol está em plena atividade, defender o presidente e a Sra. 20%, em questão de cunho pessoal, mas com honorários acertados pelo caixa do São Paulo, seja prioridade maior.

aidar e cinira processo

A alma penada de Dilma Rousseff (PT)

março 1, 2015

dilma  chalita

Da FOLHA

Por VINICIUS TORRES FREIRE

O que deve sentir ou pensar a presidente ao ver o enterro de indigente de seus planos econômicos?

“UM NEGÓCIO QUE era muito grosseiro;” “brincadeira que nos custa R$ 25 bilhões por ano”. Foi com esse discurso de réquiem que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, enterrou o defunto que fora um dos planos mais estimados da primeira encarnação da presidente Dilma Rousseff: a redução de impostos que empresas pagam ao INSS.

O que a presidente sente ou pensa quando assiste à morte ingló- ria e ao enterro infame do seu programa econômico? O que diz a seus botões, durante a noite escura da alma, na solidão esplêndida do Alvorada?

Ela acredita nas fantasias mal escritas de seus discursos, que atribui a ruína que provocou a conjurações dos azares da economia do mundo?

Acredita, tal como algumas seitas de seus adeptos restantes, que foi vítima de conjurações de elites, “mídia” ou outro demônio? Vítima dessas elites a quem o governo paga e pagará juros aberrantes pela dívida que fez a fim de financiar uma fantasia caricata e transitória de progresso social, em vez de ao menos tentar cobrar-lhes mais impostos?

As elites, que tanto amaram o dinheiro de seu governo enquanto durou, que recebiam grana grossa para financiar a criação de oligopólios, ainda engolem meio trilhão de reais a juro quase zero, o “nacional-empresismo”, outro programa que morre pelas mãos de tesoura de Levy.

Parece agora claro que Dilma não compreendia as consequências das encrencas enormes que criava, tal como endividar demais e levar à pindaíba o Tesouro Nacional e a Petrobras, para ficar nas mais rudimentares e estarrecedoras. Parecia mesmo convicta da eficácia de aplicar ao país uma versão decrépita, colegial e amadora do que imagina ter sido o desenvolvimentismo original, em si mesmo um “equívoco bem-sucedido”, responsável por vários dos nossos horrores, como desigualdade, cidades monstruosas, ignorância de massa e elitismo disfarçado de “nacional e popular”.

A presidente teria agora dúvidas? Ou balança a cabeça e tenta afastar a lembrança da lambança, tal como fazemos quando mentimos para nós mesmos a respeito dos nossos pecados? A julgar por biografias, histórias e exemplos vivos de poderosos vistos mais de perto, é provável que as perguntas sejam tão ingênuas quanto as ideias de Dilma.

Um político que chegou ao ápice do poder é quase tão oco quanto o tronco comido por cupins das árvores que desabam nas ventanias de São Paulo. Nesse quase vácuo há menos resistência para torcer seja lá o que tenha restado de ideias ou convicção. Até líderes maiores e melhores foram assim. Roosevelt tomou posse com um programa, começou a governar com outro e ainda mudou de ideia, com o que fez fama e história.

A alma de Dilma decerto não explica este quadriênio de perversões brasileiras, embora a presidente tenha se valido das oportunidades do governo imperial do país como poucos, encarnando a caricatura da Rainha de Copas. Mas o que explica ao menos o movimento dos seus humores? Dilma ora parece se debater furiosa dentro de uma bolha isolada mesmo das versões da realidade menos antipáticas a sua figura e a seu governo. Seria a fúria de alguém inquieta e ansiosa para voltar a sua vida passada, Dilma 1? Ou de uma alma penada sem rumo?

Investigação da FIFA no “caso Cleber” chega ao SEV/Hortolândia, equipe de “fachada” de Fernando Garcia, conselheiro do Corinthians

fevereiro 28, 2015

Paulo, Fernando e Andres

Desde o final do ano passado, a FIFA investiga irregularidades na transação que levou o zagueiro Cleber do Corinthians para a Alemanha, por anunciados R$ 10 milhões, sem que o clube de Parque São Jorge tivesse direito a receber um centavo sequer.

A FIFA acredita que dirigentes do Corinthians, em troca de benefício financeiro, facilitaram a ação do empresário Fernando Garcia e sua ELENKO SPORTS, em detrimento do patrimônio do clube.

O Hamburgo já enviou documentos, que complicam ainda mais a explicação da negociação.

Há uma autorização do Corinthians indicando pagamento dos valores a Fernando Garcia, em conta no exterior, citando-o como dono da ELENKO e responsável pela equipe de “fachada” SEV-Hortolândia, a quem o clube de Parque São Jorge alega ter repassado os direitos do atleta, dias antes da negociação á Alemanha.

Porém, em levantamento, a FIFA descobriu que o Hortolândia possui apenas 13 jogadores registrados oficialmente na CBF, em claro indício de burla a legislação.

Além disso, apesar de citada pelo Corinthians em documento enviado ao Hamburgo, a ELENKO SPORTS foi criada, oficialmente, somente dois meses após o encerramento da transação.

Se comprovada a ação de facilitação do Corinthians ao empresário Fernando Garcia, o clube será punido com penas que podem variar desde multas milionárias até rebaixamento de campeonato ou impedimento, como ocorreu com o Barcelona, de contratar e vender jogadores por período específico.

EM TEMPO: Olivério Junior, assessor de Paulo Garcia, dono da Kalunga e irmão de Fernando, além de Andres Sanches e Kia Joorabchian, tem realizado negócios em nome da ELENKO, com procuração assinada para tal, evidenciando a promiscuidade entre as partes.

EM TEMPO II: Abaixo você observa, entre os clientes da TUDDO COMUNICAÇÃO, de Olivério Junior, o zagueiro Cleber, o empresário Paulo Garcia, além do ASA de Arapiraca, que também está sendo investigado por negociações com Fernando Garcia:

tuddo 1

tuddo 2

tuddo 3

 

Justiça manda penhorar CT de Cotia por dívida do São Paulo com Leandro Bonfim

fevereiro 28, 2015

leandro bonfim

O São Paulo terá 48 horas, assim que notificado, para assinar o termo de “Fiel Depositário” do Centro de Treinamento do clube, que está penhorado em garantia de pagamento da dívida trabalhista milionária com o atleta Leandro Bonfim.

Os valores englobam Direito de Arena, Direito de Imagem e Contribuição Previdenciária.

A decisão da Justiça do Trabalho indefere desastroso Agravo interposto pelo jurídico do Tricolor e ratifica decisão anterior.

O clube, apesar de notificado, anteriormente, recusou-se a enviar representante para assinar a penhora, o que inviabilizou o seguimento do referido recurso.

Dias atrás, os mesmo advogados levaram “pito” noutro processo (por utilização da marca do clube), além de ameaça de extinção da ação, por “esquecimento” em depositar as taxas obrigatórias.

spfc

spfc 1

Um vexame.

Enquanto isso, com o clube perdendo patrimônio e passando constrangimento judicial, na mesma data, 26 de fevereiro, Carlos Miguel Aidar, demonstrando suas “prioridades”, preferiu estar com a 1/2 namorada, Cinira Maturana, utilizando-se de advogado do São Paulo para resolução de problemas particulares, ou seja, tentando retirar de circulação o Blog do Paulinho, que conta seus desmandos.

aidar e cinira processo

Confira abaixo despacho completo da Justiça do Trabalho que manteve a penhora do CT de Cotia em favor do atleta Leandro Bonfim

ct cotia 1

ct cotia 2

Jovem. E aposentado

fevereiro 28, 2015

andres-cigarro.jpg

Do ESTADÃO

Por ANTERO GRECO

Não tenho relacionamento algum com Andrés Sanchez, ex-presidente e hoje superintendente do Corinthians, além de deputado federal pelo PT paulista eleito em outubro. Ou seja, nada contra nem a favor, como aliás deve ser a conduta do comentarista com todo dirigente. Mesmo que tivesse qualquer tipo de proximidade, não deixaria de fazer reparos à segunda participação dele como parlamentar. (A primeira foi na crônica de anteontem, a respeito do projeto de lei elaborado com o colega Goulart, do PSD-SP, de criar o Dia nacional do Corinthians. Proposta retirada, após a péssima repercussão popular.)

O deputado voltou à carga, agora oficialmente, com sugestão solo – quer dizer, sem parceria -, ao apresentar ontem Projeto de Lei Complementar (PLP 16/2015)que prevê a concessão de aposentadoria especial para atletas profissionais e semiprofissionais que comprovem 20 anos de contribuição à Previdência Social. O texto está disponível no site da Câmara ou no link (http://bit.ly/1wsyqPt), com o status de “aguardando encaminhamento”.

Deixo o autor à parte, pois interessa o projeto e eventuais desdobramentos. O arrazoado parte da constatação de que a Constituição admite haver profissões que possam ter regime diferenciado para aposentadoria, desde que prejudiquem a “saúde ou a integridade física” dos que as exercem. Isso significa que o benefício chega para o cidadão com tempo menor de contribuição em relação às demais categorias e pode variar de 15 a 20 ou 25 anos.

A atividade esportiva entraria nesse universo particular e ocuparia faixa intermediária – a de 20 anos. Segue-se extensa explanação, que começa com a condição de atletas em geral para convergir para os jogadores de futebol, no fundo o público alvo do PLP 16/2015. Tanto que a maior parte do documento se ocupa de mostrar diversos aspectos que tornam jogar bola tarefa de risco para quem a pratica como ganha-pão.

Lá se encontra uma infinidade de observações conhecidas: os boleiros são expostos a movimentos que elevam a possibilidade de contusões; com o tempo se acumulam as dores musculares; nem sempre conseguem retomar treinamentos em ritmo normal. As baixas para tratamento se refletem no desempenho e nas finanças das equipes.

O texto lembra que, “diferente do que pensa o senso comum, a maioria dos jogadores de futebol são de famílias humildes, onde muitas vezes poderia nem ter condições para se alimentarem”. Recorda ainda que poucos têm contratos milionários, que muitos recebem quantias baixas. Ok. Mas quem disse que o senso comum acha que jogadores vêm da classe média?! De onde se tirou tal argumento? Sempre se soube que jogadores vêm de camadas mais pobres da sociedade – embora tenham ocorrido mudanças para cima, felizmente. A maioria do trabalhador brasileiro é de origem humilde.

A explanação segue a linha do coitadismo do jogador e há pontos interessantes. Mas se desmancha no penúltimo parágrafo. Como a carreira de um atleta profissional é breve, se torna razoável garantir contribuição curta, inferior à de 35 anos para homens e de 30 para mulheres.

Como assim? Um atleta que encerre atividades, digamos, aos 35, 36 anos, equivale a cidadão inválido?! Não tem condições de trabalhar em mais nada na vida? Parece vontade de zicar o fulano. Ora, tem muitos anos pela frente, pode trabalhar – até na área – e continuar a contribuir e a ser produtivo. Ou faz sentido um jovem de 35 anos aposentar-se de maneira especial porque se desgastou praticando esporte?

No momento em que se pede sacrifício à sociedade soa bola fora propor a criação de mais privilégio para ser bancado por todos. Mais bacana seria incentivar a CBF, as federações, os clubes a criarem fundos de Previdência Privada para os atletas, como fazem tantas empresas. Serviria como exercício de cidadania geral e um avanço na relação com os profissionais. Fica a ideia, de graça, para algum parlamentar.

Coluna do Fiori

fevereiro 28, 2015

fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

“Prefiro ser sincero, mal visto e odiado, a ser falso agredindo minha filosofia de vida”

Euclydes Zamperetti Fiori

————————————-

CA-FPF

Continuo não entendendo o plano de trabalho (se é que existe) adotado pelos componentes da CA-FPF no conjunto de situações inerentes aos árbitros; explico:

“Sorteios”

Por mera curiosidade no decorrer destes dias entrei no site da FPF com propósito de correr os olhos nas escalas e fiquei surpreso (rsrsrsrs) por ter apurado que da primeira a sexta rodada da Série A1, somada ao “sorteamento” da sétima que será disputada nos dias 28/02 e 01/03/2015, alguns árbitros, foram premiados por quatro vezes, outros somente uma.

“Contradição”

Recentemente, por motivos técnico/disciplinares, os árbitros Alessandro Darcie e Marcelo Alfieri, conforme determinação dos membros da CA-FPF, por tempo indeterminado eles estavam afastados dos “sorteios”.

“Surpreendentemente”

Durante minha olhadela nas escalas dos árbitros da Série A2, constatei que previamente selecionados e posteriormente “sorteados” na sexta feira 27/02 – Alessandro Darcie exercera sua função na contenda Sorocaba x Santo André. No sábado 28/02 – Marcelo Alfieri na disputa Grêmio Novorizontino x Água Branca

Sexta Rodada da Série A1 do Campeonato Paulista 2015

Sábado 21/02

São Paulo 4 x 0 GO Audax

Árbitro: Thiago Luis Scarascati

Itens Técnico/Disciplinar

Os representantes das leis do jogo não foram exigidos.

No todo:

A baba da babinha

Domingo 22/02

Ituano 1 x 1 Corinthians

Árbitro: Marcio Henrique de Góis

Item Técnico

Acertou

Por volta do 15 minutos da segunda etapa, o árbitro Marcio Henrique de Góis, acertou por ter marcado

– penalidade máxima no lance faltoso cometido por Josa, defensor do Ituano, no oponente Edilson;

– falta penal cobrada pelo corintiano Cristian, resultando no gol de abertura do placar

Errou

Por volta dos 20 minutos da segunda etapa, estando bem colocado, o árbitro, deixou de sinalizar a falta

– claríssima cometida por Naylor, defensor do Ituano, em cima do oponente Petros, na seqüência, Naylor

– tocou a pelota pra um consorte alçar a redonda pro interior da área corintiana; na descendente, Jhelmy,

– cabeceou pro fundo da rede, assinalando o gol de empate

Item Disciplinar

Não teve critério; em lances idênticos, em alguns marcava falta, em outros, nada marcou, destacando que

– Guerreiro, atacante do Corinthians apanhou o tempo todo, quando de uma reclamação, foi premiado com

– cartão amarelo

Rematando

O trabalho do árbitro me fez reportar o samba do crioulo doido

Portuguesa 1 x 3 Santos

Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza

Item Técnico

Não aconteceu o pênalti; explico:

Por volta do trigésimo primeiro minuto da etapa inicial, na linha de fundo situada ao lado do poste

– direito do goleiro da Portuguesa, com a bola dentro do campo, Robinho, atacante santista, estando com

– o corpo fora do campo em decorrência da disputa, foi atingido por um dos oponentes; rapidamente, o

– árbitro apitou e apontou a marca da cal; penalidade máxima, cobrada por Robinho: 2×0 pro Santos

Diz a Regra XII

Quando a bola estiver no campo de jogo, no caso de um dos litigantes ser atingido por oponente; a partida deve ser paralisada, podendo o árbitro, penalizar ou não, o infrator, com cartão amarelo; na seqüência, a contenda deve ser reiniciada com bola ao chão

Resumindo

O lance da falta acima descrito é difícil de ocorrer; tenho obtido excelentes informações quanto à conduta do

– árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza

Quarta feira 25/02

Contenda referente à segunda rodada da Séria A

Linense 0 x 2 Corinthians

Árbitro: Luiz Vanderlei Martinucho

No todo

O trabalho do árbitro não influenciou no resultado; porém, na parte física, notei estar fora de forma,

– na maioria das vezes, esteve mal posicionado e distante dos lances

Copa Libertadores – Fase de Grupos

São Paulo 4 x 0 Danúbio FC do Uruguai

Árbitro: Enrique Osses (CHL)

Os representantes das leis do jogo não tiveram influencia no resultado

Justiça

Exemplo de conduta de vários magistrados da “justiça” deste corrupto e corrompido Brasil brasileiro

1

2

Na magistratura brasileira (como em todos os lugares do planeta) há juízes de todo tipo (honestos, venais, ladrões, negligentes, aristocratas etc.). Os honestos e trabalhadores são os mais atingidos indiretamente em sua honra diante dos atos e omissões dos juízes pouco ortodoxos (fora da lei). Nesta última categoria há de tudo: juiz que usa carro apreendido para ser leiloado (carro de Eike Batista), que dá “carteirada” e prende a funcionária do trânsito mesmo estando com seu veículo irregular, que prende funcionários de companhia aérea depois de ter perdido o horário do voo, que maliciosa ou negligentemente guarda o processo, sobretudo de réus importantes (deputados, por exemplo), nas gavetas até chegar a prescrição, que afasta de suas funções outro juiz por ser “garantista das garantias constitucionais” (tribunal de São Paulo), que mora em apartamento funcional do Senado em Brasília pagando aluguel simbólico, ou seja, muito abaixo do mercado (esse conúbio entre o Senado presidido por um político processado criminalmente e ministros de tribunais superiores não é uma coisa boa para o País), que recebe imoralmente auxílio moradia mesmo tendo imóvel para morar (recebe um tipo de aluguel por ocupar o seu próprio imóvel), que se declara solidário a réu preso por suspeita de corrupção (caso Gilmar Mendes e o ex-governador de Mato Grosso divulgado pela Época), que é condenado por corrupção por vender sentenças (caso recente em SP e vários outros Estados – mais de 100 juízes já foram punidos pelo CNJ) etc.

O primeiro corregedor-geral do país (ouvidor-geral) também foi um corrupto.

Se os corruptos e corruptores, no Brasil, atuam com a mais absoluta sensação de que ficarão para sempre impunes, se a corrupção (entendida como prática criminosa que envolve agentes públicos e privados) aqui ingressou com os primeiros habitantes europeus e se consolidou com a construção do arremedo do “Estado Brasil”, em 1548 (tempo de Tomé de Sousa, Governador-Geral) e se o primeiro ouvidor-geral do Brasil (primeiro corregedor-geral da Justiça), Pero Borges, para ca foi nomeado (em 17/12/1548) pelo rei depois de ter surrupiado grande soma de dinheiro na construção de um aqueduto, em Elvas (no Alemtejo) (veja E. Bueno, em História do Brasil para ocupados, organizado por L. Figueiredo, p. 259), como negar que pertencemos a uma cultura patriarcal e patrimonialista desavergonhada, sem escrúpulos, sem pudor, debochada?

Analisando-se os desmandos e as estrepolias dos juízes corruptos, que vêm da escola de Pero Borges (que aqui se enriqueceu mais ainda), entende-se rapidamente a diferença entre uma cleptocracia (Estado governado por ladrões) e uma democracia cidadã civilizada (como é o caso dos países nórdicos, por exemplo: Suécia, Finlândia, Dinamarca, Noruega e Islândia): basta verificar a eficácia (ou ineficácia) do império da lei, ou seja, o quanto fica impune a corrupção do poder político-econômico-financeiro. Se os ladrões graúdos (agentes políticos, altos funcionários, agentes econômicos e agentes financeiros), que têm como escopo principal ou lateral de vida a Pilhagem do Patrimônio Público, desfrutam de um alto nível de impunidade, estamos inequivocamente diante de uma cleptocracia. E esse é o caso do Brasil.

Mas a negligência ou conivência da Justiça (frente aos poderosos) é um fenômeno isolado ou bastante corriqueiro? É frequente e onde isso ocorre podemos afirmar que estamos diante de uma cleptocracia (que se caracteriza não apenas pela roubalheira geral do patrimônio público, senão também pela impunidade dessa ladroagem). Considerando-se os dados de 2012 temos o seguinte: a Justiça brasileira, nesse ano, condenou 205 pessoas por corrupção, lavagem e improbidade. Pesquisa do Conselho Nacional de Justiça mostrou ainda que, entre janeiro de 2010 e dezembro de 2011, quase 3 mil processos por esses tipos de crime foram extintos por prescrição. Infográfico feito pelo jornal Gazeta do Povo mostra o seguinte:

3

A Justiça brasileira, como se vê, com 3 mil prescrições anuais somente nessa área da corrupção e improbidade, é uma indústria fértil de prescrições (que ocorrem quando o Estado perde o direito de punir em razão do transcurso do tempo), que vêm beneficiando inclusive muitos políticos (Sarney, Maluf, Jader Barbalho etc.). Ela funciona muito mal e é extremamente morosa (daí a desconfiança da população, em todas as pesquisas na última década). Muitas vezes ela não tira proveito material da criminalidade organizada P6 (Parceria Público/Privada para a Pilhagem do Patrimônio Público). Mas, com tantas prescrições (milhares por ano, como se pode notar no Infográfico acima), não se pode negar que seja conivente com o malfeito, com a corrupção, em suma, com a cleptocracia. A Justiça faz parte do sistema de impunidade reinante no País, que beneficia todo tipo de criminoso, incluindo especialmente os larápios que vivem da pilhagem do dinheiro público.

Autoria do Jurista e professor Luiz Flávio Gomes

——————————————————————-

Finalizando

Seria bom se a justiça deste país fosse imprevisível, para de vez em quando nos surpreender com… justiça.

Demetrio Sena

—————————————————————-

Chega de Mentiras, de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP- 28/02/2015

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

“Vida Longa e Próspera”: morreu Leonard Nimoy, o Mr. Spock, um herói de muitas gerações

fevereiro 27, 2015

spock

Morreu, em Los Angeles, o ator Leonard Nimoy, aos 83 anos, vítima de doença pulmonar obstrutiva crônica.

Seu inesquecível “Mr. Spock”, de Star Trek (Jornada nas Estrelas), será lembrado para sempre como um herói atemporal, carismático, amado por diversas gerações.

“Vida Longa e Próspera” ao Mito.

Os “trekkies” de todo o Planeta – este jornalista, inclusive – estão enlutados, tristes com uma perda absolutamente irreparável.

Deputado “ipócreta”

fevereiro 27, 2015

andres-bobo-2-2013_03_07-19_30_38-UTC.jpg

Da VEJA

Por AUGUSTO NUNES

“Simplesmente só apóie (sic), mais nada. Qualquer projeto que você for apoiar, tem que assinar, mas também não é crime esse progeto (sic). Bom, cada um fala e escreve como quer, mas somos um povo, infelizmente, com muita ipocresia (sic)”.

ANDRES SANCHEZ, deputado federal pelo PT de São Paulo, capturado por Celso Arnaldo ao negar, no twitter, que tenha proposto na Câmara, como seu primeiro “progeto”, a patética lei que institui o Dia do Corinthians, insinuando que, na verdade, vai propor na Câmara o DIA DO EX-PRESIDENTE ANALFABETO DO CORINTHIANS.

asno

Bombeiros prorroga prazo para “Fielzão” se adequar às normas de segurança. Estádio ficará mais caro

fevereiro 27, 2015

roberto e gobbi

O “Fielzão”, estádio que o Corinthians utiliza como seu, está sendo operado sob autorização especial, mesmo sem cumprir as normas mínimas de segurança exigidas pelo Corpo de Bombeiros.

Para tal, o clube está sendo obrigado a bancar, a cada evento na Arena, a permanência de, no mínimo, vinte bombeiros civis.

Em despacho, o Corpo de Bombeiros prorrogou, em quatro meses, o prazo para a realização das referidas obras de adequação.

A solicitação foi um dos últimos atos de Mario Gobbi no poder, que alegou falta de dinheiro para cumprir as exigência dos bombeiros, jogando a culpa no recebimento, apenas em dezembro, de parte dos recursos do BNDES, além da não liberação integral dos CIDS pela Prefeitura.

Se o clube permanecer inerte até maio de 2015, o estádio será interditado.

As obras a serem realizadas são:

– sistema de extração de fumaça na ala oeste da Arena Corinthians e saídas de emergência com barras anti-pânico.

O clube alega que para executar as exigências, faz-se necessária, à margem do que já foi solicitado, a realização doutras obras estruturais de grande porte na edificação, inclusive remoção de interferências.

Em tempo: respondendo a quem interpelou, o título no singular refere-se a Corpo de Bombeiros, uma instituição.

O tempo, o Pato e o vento

fevereiro 27, 2015

pato

Como de costume nos últimos anos, basta o atacante Alexandre Pato marcar um ou dois gols para a imprensa tratá-lo com o batido slogan “agora vai!”.

O exagero é ruim não apenas para o jogador, mas desonesto com os torcedores.

A equipe do Danúbio possui o perfil de todas as outras sobre as quais o futebol do “craque” se sobressaiu: décima colocada no último, e fraquíssimo, Campeonato Uruguaio, 22 escandalosos pontos atrás do líder da competição.

Ou seja, tão letal quanto o vento da brisa do mar.

Pato continua sendo o que sempre foi, “habilidosinho”, com facilidade de atuação em meio a zagueiros de má-qualidade, mas extrema dificuldade em se desvencilhar de quem entende um pouco do riscado.

Falta raciocínio, vontade e alguma destreza.

Se dar manchete indevida à bela namorada resolverá o problema em jogos mais sérios, somente o tempo dirá, apesar de que a improbabilidade só não é maior do que achar um militante petista capaz de raciocinar.

Delegado fez vice do Corinthians ficar branco no Parque São Jorge

fevereiro 27, 2015

ivaney

No início da semana, em meio à reunião que elegeu Presidentes do Conselho Deliberativo e do CORI no Corinthians, uma confusão, com bate-boca, dedo em riste e ameças fortes fez conselheiro do clube se esconder embaixo da mesa.

Os protagonistas foram o delegado Ivaney Cayres e o vice-presidente do Timão, André Negão.

“Negão safado! Vou te arrebentar! Dou um tiro na sua cara, bicheiro sem vergonha”.

A indignação se deu pelo fato de Negão não ter cumprido a promessa de colocar Cayres na chapa do grupo “Renovação e Transparência”, que, com as cartas marcadas, elegeu quem bem entendeu para as cadeiras do CORI.

Não fosse a turma do “deixa-disso”, o lotérico vice-presidente estaria, em desconformidade com o apelido, branco, e tremendo, até agora.

Ótimo candidato para o Supremo

fevereiro 27, 2015

juíz eike

Por NAPOLEÃO DUMONT*

Estamos no Brasil do PT e do (des)governo petista (que está no chão e não vai durar muito, nem que a vaca tussa, ou não).

Há uma vaga de Ministro do Supremo Tribunal Federal, que poderia ser até mesmo preenchida pelo exmo. sr. professor Ministro da Justiça – mas não dá mais.

Surgiu no noticiário um magistrado ideal para a vaga – rapidíssimo na prática de atos judiciais – em alguns casos especialíssimos: o exmo. sr. Juiz Bacharel (se for Doutor em Direito, fica desde já retificada a titulação, com as desculpas de estilo) Flávio Roberto de Souza, da 3ª Vara Criminal Federal do Rio de Janeiro – aquele meritíssimo que sub-repticiamente – mas já foi pego com a mão na cumbuca, isto é no volante – se apossou temporariamente de veículos e do piano (não se sabia que era pianista) do empresário Eike Batista, para bem conservá-los, preservando-os de possível degradação.

Seu currículo e comportamento estão em toda mídia, nas redes sociais, na internet, twitando-se que está para experimentar pilantrar – perdão, pilotar! – o magnífico Iate do milionário. É claro que vestido a caráter (!) de marinheirinho (e possível que, no depósito de bens apreendidos, haja alguma farda-fantasia carnavalesca de marujo – e é logico, quem pode o mais, pode o menos).

Queremos vê-lo Ministro do Supremo Petista.

Basta a exma. sra. Presidenta (ainda) mandar o nome que o Senado aprovará e enriquecerá a Magistratura ex-brasileira.

Embora haja vários outros CAODIDATOS SENADA que os desabone.

Deixo claro que nada tenho contra o empresário Eike Batista, mas analisando honestamente o seu caso, chego a pensar que pretendem ser, na ré-publica (este foi o seu azar), o que, inegavelmente o foi o grande patriota – igualmente visionário – Visconde de Mauá no Império, que, apesar de ter deixado grandes obras e realizações, engrandecendo o Brasil, também passou por uma terrível fase desfavorável (até foi a falência, mas recuperou-se, honrando todos os compromissos).

Entre tantos outros empreendimentos, visando o futuro do País, construiu um Estaleiro. O Porto do Eike já está em funcionamento parcial.

Ah!, o que faz a inveja.

*NAPOLEÃO BONSANT DUMONT é importante representante do militarismo brasileiro.

Desesperado, Aidar tenta tirar Blog do Paulinho do Google, Facebook e Twitter

fevereiro 27, 2015

chifre

Em mais um capítulo constrangedor para a história do São Paulo, o presidente do clube, Carlos Miguel Aidar, ingressou com pedido para que o Blog do Paulinho, que não se intimida em revelar suas peripécias, seja retirado do ar no Google, Facebook e também Twitter.

Uma burrice monumental.

O blog sequer precisou se mexer, já que, indignado, o Google reagiu juridicamente, em ação que tem as outras plataformas citadas inseridas no processo como “interessadas”.

Aidar que deveria estar mais preocupado em retirar do Morumbi a facção criminosa Independente ou parar de distribuir ingressos a “chegadinhos” do poder, deixando vaga ao Sócio Torcedor, tão maltratado pelo clube, age como se pudesse tapar o Sol com a peneira.

Ou alguém acredita na menor possibilidade do jornalista que edita o Blog do Paulinho deixar de escrever, mesmo em caso de retirada do nome do espaço na internet ?

Obvio que não.

O blog poderia voltar até com nome mais criativo, ou chamativo, homenageando quem atreve-se a brincar de censor, tais como: “Blog do Taxista Gigolô”, “Blog do 1/2 namorado”, “Blog dos 20%”, “blog unhas pintadas”, etc., etc., etc.

Certo é que Aidar, em vez de ficar vendo “chifre” em cabeça de cavalo, deveria focar suas energias em realizar boa administração no São Paulo, maneira bem mais eficaz, digna e inteligente de não ter os deslizes citados por este espaço.

Papel Higiênico

fevereiro 27, 2015

dinheiropapelhigienico

Em 15 de janeiro, publicamos um desabafo de médico da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, administrada pelo tricolor Kalil Rocha Abdala, envolta em meio a suspeitas gravíssimas de corrupção.

“Higiene Anal”, o título da postagem, mostrava que os médicos sequer possuíam papel higiênico para utilizar após as necessidades, enquanto o rombo, ou roubo do hospital atingia valores inimagináveis.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2015/01/15/higiene-anal/

Dois Meses depois, Dr. Hipócrates retorna para contar a solução para o caso:

Por Dr. HIPÓCRATES ROCHA ABDALAH*

Paulinho!!

Quero agradecer do fundo do meu ser, nas profundezas das minhas entranhas, ao grande Superintendente da Santa Casa, o advogado Khalil Rocha Abdalah, amigo do Dr Marco Aurelio Cunha, e do ex-Presidente da OAB, Carlos Miguel Aidar, homem que conhece todos os podres do judiciário, e atual Presidente do São Paulo Futebol Clube, que divide tudo, um perfeito socialista, divide até a namorada, pelo rolo de papel higiênico enviado ao Hospital São Luis Gonzaga, do Jaçanã!!!

Agora, nós, funcionários, podemos fazer a nossa higiene anal de forma adequada.

Além disso, como forma de grande gratidão e competência, toda a Diretoria do Hospital São Luis Gonzaga, foi transferida para o Hospital particular Santa Isabel, também participante da dívida pública de 800 milhões!!!, também gerido de forma competente, pelo Superintendente Khalil Rocha Abdalah, nome que deve ser repetido à exaustão!!!

Continuo pedindo que você preserve meu nome, pois com essa gente não se brinca!!!!

Não esqueçam:

800 milhões de dividas!!!

Dinheiro público!!!

Hospitais sucateados!!!

Salários atrasados de funcionários que ganham merreca.

Esse é o Brasil!!!

* Dr. HIPÓCRATES ROCHA ABDALA trata-se de pseudônimo de um médico, conhecido deste jornalista, que, por razões óbvias, teme se identificar


%d blogueiros gostam disto: